Resumo #11-Perihermenias/De interpretatione- Aristóteles (Parte 4)

 

3. O verbo é aquilo que adiciona ao seu próprio significado a noção de tempo. tomadas separadamente,suas partes  nada significam. Além disso, o verbo sempre é um sinal de algo que se predica de outro.

 

Ex: “saúde” é um nome, mas “estar saudável” é verbo, pois além do seu próprio significado, acrescenta à existência atual a saúde.

 

Os verbos são nomes: Significam algo determinado, mas não expressam julgamento tomados isoladamente, mas implicam em cópula ou síntese, que não pode ser compreendida sem as partes copuladas.

Não são verbos:

a) Expressões como ‘’estar não saudável ‘’ ou ‘’estar não bem’’. Embora expressem tempo e formem um predicado, estas expressões não tem nome. São chamadas de verbos indefinidos.

b) Expressões como ‘’era saudável’’ ou ‘’estará saudável’’. Trata-se de casos ou tempos verbais. Indicam os tempos fora do presente, enquanto o verbo designa somente o presente.

 

 

Bibliografia

[1]ARISTOTELES. Organon, v. 1 (Trad. Pinharanda Gomes). 1ª edição.Lisboa:Guimarães editores LTDA,1985

[2] Aristotle, Johann Theophilus ; Buhle, & Bipontina, Societas (1791). _[Aristoteles] Aristotelis Opera Omnia Graece_. Ex Typographia Societatis.
 
[3] Authors/Aristotle/Perihermenias.”  - The Logic Museum, 2017, www.logicmuseum.com

 

POSTS RELACIONADOS

Resumo #11-Perihermenias/De interpretatione- Aristóteles (Parte 1)

Resumo #11-Perihermenias/De interpretatione- Aristóteles (Parte 2)

Resumo #11-Perihermenias/De interpretatione- Aristóteles (Parte 3)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s