Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

 

SOBRE A DIFERENÇA

A diferença por ser dita comumente, propriamente e mais propriamente.

a) Comumente : Ocorre quando uma coisa se difere de outra devido a uma alteridade,em si ou em outra.

Ex: Sócrates difere de Platão desde modo. Sócrates criança e adulto diferem da mesma maneira.

b) Propriamente: Quando uma coisa se difere de outra em um acidente inseparável, se diz que se difere propriamente.

Ex: Acidentes inseparáveis são, por exemplo, olhos verdes e nariz adunco.

c) Mais propriamente: Se uma coisa se separa de outra devido a uma diferença especifica, se afirma que se difere mais propriamente.

Ex: O homem se difere do cavalo por uma diferença especifica: A razão.

O homem pertence ao gênero animal, do mesmo modo o cavalo, mas por meio da racionalidade este se afasta drasticamente dos equinos.

Diferença ditas simplesmente e diferenças específicas

Geralmente, toda diferença adicionada a algo torna esta coisa alterada. A diferença dita comumente ou propriamente torna algo mudado. A diferença dita mais propriamente faz de uma coisa se tornar outra.

Assim, algumas das diferenças mudam algo, outras tornam este algo em outro.

As diferenças que mudam algo são chamadas simplesmente de diferenças, e as que o tornam outro são designadas pelo nome de especificas.

Ex: A diferença de racional, quando atribuída ao animal o torna outro, no caso, o homem. Aqui temos um caso de diferença especifica dita de modo mais propriamente.

De outro modo, ao adicionarmos como diferença a capacidade de se mover, decorrerá daí apenas mudança em relação a um animal em repouso. Neste caso, podemos nos referir simplesmente a diferença.

As diferenças específicas geram as divisões dos gêneros e espécies, e apresentam as definições ,que são dada pelos gêneros mais próximos e pelas diferenças especificas.

As diferenças ditas simplesmente criam somente alteridades, não entrando na definição.

Divisões separáveis e não separáveis

As divisões podem ser:
a) Separáveis: Como por exemplo,a capacidade de movimento,repouso,a saúde e a doença e outras desta natureza.

b) Não separáveis: Como por exemplo,ser racional ou irracional.

Divisões inseparáveis que diferem por si ou por acidente

As inseparáveis podem ainda ser classificadas em diferenças que pertencem por si e diferenças acidentais.

As diferenças que pertencem por si o tornam outro,e as diferenças por acidente o tornam apenas mudado.

Ex: O racional e o mortal pertencem por si ao homem, enquanto o nariz adunco ou chato pertence por acidente.

Propriedades das que diferem por si

‘’Os que diferem por si não comportam mais ou menos’’

Propriedades das que diferem por acidente

‘’Os que diferem por acidente comportam mais ou menos’’

Diferenças divisoras e constitutivas

A diferença comporta ainda mais um classificação.É possível distinguir dois tipos de diferenças:

a) Diferenças que dividem os gêneros em espécies (Divisoras)

Ex: Racional e irracional, como mortal e imortal são diferenças que dividem os gêneros em espécies.

b) Diferenças que especificam o que foi divido (Constitutivas)

Ex: Ser animado e capaz de sentir é diferença constitutiva da substancia do animal.

Definições de diferença

Diferença é:

  1. Aquilo que pelo qual a espécie supera o gênero.

Ex:O homem,por possuir a racionalidade,supera o gênero animal.

2. O que é predicado de muitas coisas que diferem em espécie em resposta ao como é.

4. É aquilo naturalmente apto a separar os que estão no mesmo gênero.

Ex:O racional separa o homem do cavalo.

4. É aquilo pelo qual cada um difere.

5. É o que esta conjugada a espécie,e o que era ser de algo.

 

BIBLIOGRAFIA

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46


[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

 

Anúncios

Resumo 3#-O Ente e a Essência-Sto. Tomás de Aquino

oenteeaessencia-500x500

Sinopse*

Santo Tomás considera que todo conhecimento começa com a experiência sensível, sobre a qual podem ser desdobrados vários graus de abstração. Também o conhecimento que se tenha de Deus é conhecido a partir de seus efeitos.

 

[Proêmio]
O ente e a essência são o que primeiro se concebe na inteligência. Deve-se primeiro definir esses termos e como estes se relacionam com o gênero, a espécie e a diferença.

O estudo Inicia-se a partir do conceito de ente, para em seguida chegar a definição de essência.

[Capítulo 1]

O ente pode ser tomado em duas acepções: na primeira, divide-se nas 10 categorias do ser e acrescenta algo á coisa. Tomado nesta acepção significa a substância de alguma coisa.

Na segunda acepção, representa uma proposição afirmativa,sem acrescentar algo a coisa.

A essência ou quididade é inteligível,sinônimo de forma e natureza.É a essência que determina o gênero e espécie.

[Capítulo 2]

Análise das substâncias compostas (forma e matéria),de modo a posteriormente analisar a substância simples, constituída apenas de forma. A essência compreende forma e matéria,porém só a forma é a causa da essência, e a matéria é  o princípio da individualidade.

A matéria pode ser signada (particular e concreta) ou não signada (Universal e abstrata).

[Capítulo 3]

A definição de homem (em geral) e deste homem (em particular)só difere pelo signado e não signado. O gênero e a espécie também se diferenciam desse modo.

[Capítulo 4]

Relação entre os conceitos de essência e os de gênero, espécie e diferença.

[Capítulo 5]

Este capitulo discorre sobre de que modo a essência encontra-se nas substâncias separadas: alma, inteligência e causa primeira. Na causa primeira a quididade é o próprio ser.

                  Diferença entre substância simples e substância composta.

A substância simples possui forma, e somente pode ser tomada no seu todo, enquanto a substância composta possui forma e matéria, podendo ser tomada no todo ou em suas partes.

[Capítulo 6]

A essência pode encontrar-se nas substâncias de três modos:

1) Deus, cuja essência é igual à própria existência.

2) Substâncias intelectuais e imateriais cuja essência é diferente da própria existência.

3)Substâncias que possuem forma e matéria.

[Capítulo 7]

Neste capítulo Santo Tomás discorre de que maneira a essência se encontra nos acidentes.

 

*Retirado do site da editora ecclesiae.