Resumo #10-Isagoge-Porfírio em PDF

 

 

 

    Para fazer o download clique aqui

 

 

 

POSTS RELACIONADOS

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 9)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 10)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 11)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 12)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 13)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 14)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 15)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 16)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 17)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 16)

 

DO QUE É COMUM A ESPÉCIE E AO ACIDENTE

A espécie e o acidente se predicam de muitos.

DA DIFERENÇA ENTRE A ESPÉCIE E ACIDENTE

1) A espécie se predica no que é,o acidente no como é.

2) Cada substância participa de uma espécie,mas de vários acidentes,quer separáveis,quer inseparáveis.

3)As espécies são interiores aos acidentes,ainda que separáveis.Os acidentes são necessariamente posteriores,ainda que inseparáveis.

Ex: Deve haver um sujeito para que algo nele seja acidente.Deve existir o corvo,para que exista o corvo negro.

4)As espécies tem participação igual,o acidente tem participação não igual.

Ex:O corvo pode ter a cor negra mais intensa,com relação a negritude,do que outro corvo.

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49 


POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 9)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 10)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 11)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 12)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 13)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 14)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 15)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 15)

 

DO QUE É COMUM A ESPÉCIE E O PRÓPRIO

 

1.É comum a espécie e a propriedade se predicarem um do outro.

Ex:Se algo é homem,é risível;se for risível,é homem.

2. As espécies e propriedades também estão igualmente nos seus participantes.

 

DA DIFERENÇA ENTRE A ESPÉCIE E O PRÓPRIO

  1. A espécie pode ser gênero de outras coisas,enquanto a propriedade não pode ser o próprio de outras coisas.

       2.  A espécie subsiste antes da propriedade,o próprio é gerado depois da espécie.

        Ex: Deve haver homem,para que este seja risível.

        3. A espécie está sempre em ato com relação a seu sujeito,enquanto a propriedade              pode estar em potência.

         Ex: Sócrates é sempre homem,mas não é necessário que ria sempre,embora sempre            esteja apto a rir.

      4. Coisas com definição diferentes,são necessariamente diferentes.A definição da               espécie diz que esta sob o gênero,sendo predicada de muitas,diferindo em numero no        que uma coisa é.

       A definição de propriedade afirma que ela está em um somente,em todo individuo e         sempre.

 

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49 


POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 9)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 10)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 11)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 12)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 13)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 14)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 14)

 

 

DO QUE É COMUM A DIFERENÇA E AO ACIDENTE

Tanto as diferenças, quanto o acidente, são ditos de muitos e de modo comum aos acidentes inseparáveis, estando sempre presentes e em todos.

Ex: O bípede está sempre ao homem,e a negritude a todos os corvos.

DA DIFERENÇA ENTRE DIFERENÇA E ACIDENTE

  1. A diferença compreende mas não é compreendida pelas espécies,mas os acidentes compreendem,visto que estão em muitos,e alem disso são compreendidos,dado que seus sujeitos podem receber diversos acidentes.
  2. As diferenças não admitem intenção e remissão,enquanto os acidentes aceitam o mais e o menos.
  3. Os acidentes contrários podem as vezes ser misturados,as diferenças contrárias não podem nunca serem misturadas.

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49 


POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 9)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 10)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 11)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 12)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 13)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 9)

 

 

 

DO QUE É COMUM AO GÊNERO E A ESPÉCIE

 

O gênero e a espécie tem em comum serem predicados de muitos e o fato de serem ambos anteriores aos seus predicados.

 

DA DIFERENÇA ENTRE GÊNERO E A ESPÉCIE

 

  1. Os gêneros compreendem as espécies,estas são compreendidas pelos gêneros,mais não compreendem os gêneros.

 

 2. Os gêneros, por sua natureza, são anteriores as espécies.

 

 3. Os gêneros subvertem as espécies e não são por elas subvertidas.

 

4. Os gêneros excedem as espécies por conte-las sob si,mas as espécies excedem os   gêneros em suas diferenças próprias.

 

5. A espécie nunca pode se tornar um generalíssimo,nem o gênero se tornar uma especialíssima.

 

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

 

POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

 

 

 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 8)

 

 

DO QUE É COMUM AO GÊNERO E A DIFERENÇA

  1. Tanto o gênero,quanto a diferença contém as espécies.Mas nem todas as espécies contidas pelo gênero são contidas necessariamente pela diferença.

Ex: O racional não compreende o irracional,como se dá no gênero animal.Ainda assim,ele compreende as espécies de homem e Deus.

2. O que se predica do gênero se predica das espécies sob este gênero.Do mesmo modo,o que se predica da diferença,sera predicado da espécie.

3. Se se suprime o gênero ou diferença,se suprime também o que esta sob ele.

Ex: Não havendo o gênero animal,não há homem ou cavalo.Faltando  a racionalidade,não pode haver animal racional.

DA DIFERENÇA DO GÊNERO E DA DIFERENÇA

  1. O gênero é predicado da diferença, da espécie, do próprio e do acidente.

2. Os gêneros contêm a diferença em potência.

      3. Os gêneros são anteriores as diferenças, podem subverter ou suprimir as diferenças,mas não podem ser por elas subvertidas.

     4. O gênero se predica no que é,a diferença se predica no como é.

5. O gênero se predica conforme cada espécie,as diferenças são muitas.

6. É possível comparar o gênero com a matéria,e a espécie com a forma.

 

 

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

 

POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

 

 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 7)

Categorias

 

Tendo visto cada um dos cinco predicáveis,passaremos ao estudo do que é próprio e comum entre eles.

DAS COISAS COMUNS AOS CINCO PREDICÁVEIS

Todos os cinco predicáveis se predicam de acordo com muitos.

a) O gênero e a diferença se predicam das espécies e indivíduos.

Ex:

O gênero animal se predica da espécie dos bois e dos cavalos,e também dos bois e cavalos individuais.A irracionalidade é uma diferença,ela se predica do mesmo modo que o gênero.

b) A espécie se predica dos indivíduos.

Ex:

A espécie homem se predica de Pedro,João,etc..

c) O próprio se predica das espécies e dos indivíduos dos quais ele é próprio.

Ex:

A capacidade de rir se predica do homem e dos indivíduos desta espécie.

d)O acidente é predicado das espécies e indivíduos.

Ex:

A cor preta se predica do corvo enquanto espécie e do corvo em particular.

 

 

Bibliografia

[1]  PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] ARISTOTLE, & PACE, G. (1967). Aristotlelous Organon = Aristotelis Stagiritae peripateticorum principis organum : hoc est, libri omnes ad Logicam pertinentes, Graece et Latine. Frankfurt/Main, Minerva

[3] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[4] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

POSTS RELACIONADOS 

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 4)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 5)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 6)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 3)

 

 

SOBRE A ESPÉCIE

A espécie é entendida em duas acepções:

a) É aquilo que é predicado de toda forma

b) É o que está sob certo gênero,como quando dizemos que o homem é uma espécie de animal,sendo animal o gênero.

Portanto, a espécie pode ser defina como:

Aquilo que se coloca sob o gênero e da qual o gênero é predicado de algo

ou

O que é predicado de muitas coisas que diferem em número, em resposta ao o que uma coisa é.

Esta ultima definição se refere as especialíssimas,ou o que é somente espécie.As demais definições se referem a não especialíssimas.

Generalíssimos e especialíssimos

Em todos os predicados existem generalíssimos e especialíssimos,além de gêneros e espécies intermediárias.

O generalíssimo é o gênero sobre o qual não pode haver outro gênero. Acima do generalíssimo não há nenhum gênero. Este será é somente gênero,nunca espécie.

O generalíssimo é assim definido:

Aquilo que, sendo gênero, não é espécie, e sobre o qual não há gênero superior.

Ex: A substância é um gênero supremo. Acima dela não há nenhum outro gênero,e abaixo dela há outros gêneros e espécies .

A especialíssima é a espécie sob a qual não pode haver nenhuma espécie. Abaixo da especialíssima não há nenhuma espécie.Ela é somente espécie,e nunca gênero.

A especialíssima é definida como:

Aquilo que, sendo espécie, não é gênero,e o que se predica de coisas diferentes em número,segundo o que uma coisa é.

Ex: A espécie homem. Abaixo dela não há nenhuma outra espécie,somente indivíduos.

Aquilo que não é nem generalíssima, nem especialíssima,estará no meio entre estes extremos.Deste modo,o intermediário será a espécie do seu anterior, e gênero do seu posterior.

A generalíssima e a especialíssima possuem somente uma relação,um com seu posterior e outro com o anterior, respectivamente.

Gêneros e espécies subalternas

Os intermediários, dos quais falamos acima, serão gêneros e espécies subalternas.Estes são aqueles que,anteriores a especialíssima, ascendem até a generalíssima.

No que se refere aos gêneros e espécies isto não se dá ,pois o ser não é gênero comum a todas as coisas,nem todas as coisas são de um mesmo gênero com relação a um gênero supremo.

Do que foi exposta acima, decorre que podemos chamar as coisas de seres somente de modo equívoco, de modo que, a comunidade de seres está somente no nome,e não na definição.

Dos números dos generalíssimos,especialíssimas e indivíduos

São dez os generalíssimos.O numero das especialíssimas seguramente é menor que o infinito,e o número dos indivíduos é virtualmente infinito.

Ao descer dos generalíssimos em direção as especialíssimas , se procede dividindo a multidão por meio de diferenças específicas,pois os indivíduos particulares dividem o um em uma multidão.

Do contrário, ao  subir das especialíssimas ao  generalíssimos, reuni-se a multidão em um,pois as espécies e os gêneros reúnem a multidão.

Podemos resumir toda esta discussão em apenas uma frase:

O individual sempre divide, o coletivo sempre une.

 

Predicação da espécie e do gênero

  1. O gênero é sempre predicado das espécies, mas as espécies nem sempre se predicam do seu gênero.

É necessário que o que é igual seja predicado seu semelhante, e o que é maior, seja predicado do menor.

Ex: Podemos dizer que o homem é um animal, mas nunca que o animal é um homem.

2. Das coisas que a espécie é predicada, elas se predicarão necessariamente do gênero do gênero, do gênero da espécie, chegando por fim ao generalíssimo.

Ex: Sócrates é homem, o homem é um animal, e o animal é uma substância. Deste modo, podemos seguramente dizer que Sócrates é uma substância e um animal.

Os superiores são sempre predicados dos inferiores, portanto:

a) A espécie é predicada do indivíduo.

b) O gênero é predicado da espécie e do individuo.

c) O generalíssimo é predicado de todas as espécies,gêneros e indivíduos que estão sob ele.

d) O gênero antes da especialíssima é predicado de acordo com as especialíssimas e com o individuo.

e) O individuo só se predica de um particular

O indivíduo

Os indivíduos são compostos de propriedades únicas. As propriedades de certo indivíduo nunca serão iguais as de outro. As propriedades do homem,enquanto espécie,são comuns a todos os homens individuais.

 

BIBLIOGRAFIA

[1] PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel

Online, 19/01/2019 às 15:46

[3] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

[4]

POSTS RELACIONADOS

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)


					

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 2)

SOBRE O GÊNERO

O gênero e a espécie não são ditos simplesmente.

Podemos falar de gênero em três acepções distintas.

Gênero é :

a) Uma coleção de coisas que mantêm algo de relativo ente uns e outros.

Ex: O gênero dos hercúleos se dá a partir de Hercules e de outros que mantém relação de parentesco com ele.

b)O princípio da geração de cada um.

Ex: Orestes tem seu gênero a partir de Tântalo, ateniense é o gênero de Platão.

c) Aquilo sob o qual é colocada a espécie,ou aquilo sob o qual a espécie está sujeita,de modo que o gênero contem a multidão de seres que estão abaixo de si.

Interessa aos filósofos, sobretudo a última acepção, que descreve que o gênero é aquilo que é predicado de muitas coisas, que se diferenciam em espécies.

Diferenças entre o gênero e demais predicáveis 

Os predicáveis podem ser afirmados de um ou de muitos.

Dos afirmados somente de um,temos o indíviduo.

Dos afirmados de muitos,temos o gênero,a espécie,as diferenças,o próprio e o acidente.

Cabe agora, ver de que maneira o gênero se diferencia dos demais predicáveis. Já vimos que o gênero se distingue do individuo,pois este é afirmado de muitos,enquanto o indivíduo se afirma de um só.Resta agora,considerar a diferença entre o gênero e os demais predicados que se afirmam de muitos.

Gênero e espécie

Embora a espécie seja um predicável afirmado de muitos,ela se distingue destes,pois,a espécie se predica das coisas que diferem não em espécie,mas em número.

Ex: O homem se predica de Socrates,Platão,etc.Não por uma diferença de espécie,mas somente uma diferença numérica.

Por outro lado,o gênero é predicado de diferentes espécies, e não somente por uma diferença numérica.

Ex: O Gênero animal é predicado de homem, boi,cavalo,etc.

Gênero e próprio

O gênero difere do próprio ,pois o gênero é predicado de várias espécies,enquanto,o próprio é predicado somente da espécie da qual é próprio.

Ex:A propriedade de rir é predicada somente da espécie homem.

Gênero, diferença e acidentes

A diferença e os acidentes se diferenciam do gênero pelo fato destes predicáveis não se predicam do que é,e sim do como é.

Ex: Se perguntarmos como o homem é,responderemos racional (diferença),ou ainda,podemos dizer dele uma diferença (o homem é branco).

Slide1

BIBLIOGRAFIA

[1] PAIVA, G. B. V. de . Tradução do texto grego de: PORPHYRIUS, Isagoge. Ed. Busse, 1887

[2] Authors/Porphyry/isagoge/parallel

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge/parallel  

Online, 19/01/2019 às 15:46

[3] Authors/Porphyry/isagoge/

http://www.logicmuseum.com/wiki/Authors/Porphyry/isagoge

Online, 29/01/2019 às 15:49

POSTS RELACIONADOS

Resumo #10-Isagoge-Porfírio(Parte 1)